sábado, 27 de setembro de 2008

Vindo em regime de "Copy/Paste" do blog Os Tempos que Correm...

Copia e envia um mail aos deputados.

Endereços de email dos grupos parlamentares:

blocoar@ar.parlamento.pt gp_pcp@pcp.parlamento.pt gp_pev@ar.parlamento.pt gp_pp@pp.parlamento.pt gp_ps@ps.parlamento.pt gp_psd@psd.parlamento.pt

Assunto: No dia 10 de Outubro, SIM à liberdade e à igualdade.

No próximo dia 10 de Outubro, a Assembleia da República será chamada a votar projectos que estabelecem finalmente a igualdade no acesso ao casamento.

Esta é uma questão de direitos fundamentais, é uma questão de cidadania, é uma questão que determina a qualidade da nossa democracia. Trata-se de acabar com a humilhação de muitas mulheres e muitos homens que são ainda discriminadas/os na própria lei por causa da sua orientação sexual. Trata-se de afirmar finalmente que gays e lésbicas não são cidadãos e cidadãs de segunda.

A Assembleia da República terá finalmente a oportunidade de afirmar o seu empenho nesta luta pela igualdade e pela liberdade – e a oportunidade de contribuir de forma particularmente simples para a felicidade de muitas pessoas.

O fim da exclusão de gays e lésbicas no acesso ao casamento consegue-se com uma pequena alteração no texto de uma lei, que não implica custos nem afecta a liberdade de outras pessoas. Porém, será um enorme passo no sentido da igualdade e contra a discriminação. E como demonstraram as discussões sobre o voto para as mulheres ou sobre o fim do apartheid racista na África do Sul, o preconceito que existe na sociedade não pode nunca justificar a negação de direitos fundamentais. Pelo contrário, votar contra a igualdade é legitimar e encorajar a discriminação.

Esta votação representa por isso uma enorme responsabilidade, pelas implicações que terá no reforço ou na recusa do preconceito.

Porque recuso a discriminação na lei portuguesa e porque esta é a oportunidade de repor a justiça e cumprir o princípio constitucional da igualdade, seguirei com atenção esta votação - e apelo ao voto favorável de todos os membros deste Grupo Parlamentar e à defesa intransigente da igualdade no próximo dia 10 de Outubro.

2 comentários:

Anónimo disse...

digam me so uma coisa? se eu tiver como orientação sexual a pederastia? ou a poligamia? ou a pedofilia? tambem de devo poder casar? ou se for umas destas coisas ja sou doente mental como os gays eram a 40 anos? ou sera que esta questao td so se poe porque o lobby gay no mundo é muito poderoso?

Joao Pedro

ines.godinho disse...

Joao Pedro,

Em primeiro lugar peço-lhe que se informe a respeito da diferença entre parafilias e orientações sexuais. Partindo daí saberá que aquilo que defendemos neste blog é o direito ao casamento civil por parte de todas as pessoas em idade de decidir que, com consentimento mutuo, decidam que querem dar este passo.

Quanto a mim a poligamia inscreve-se na mesma regra. O casamento civil deve poder ser efectuado entre todas as pessoas que assim o desejarem.

Sempre disponível para mais esclarecimentos,

Inês